TAPETE VERMELHO – ROSÂNGELA ROSSI – RESENHA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

TAPETE VERMELHO – ROSÂNGELA ROSSI – RESENHA

TÍTULO – TAPETE VERMELHO
COLEÇÃO: Meus 70 anos, 1.

Coordenação editorial: Maria Helena Sleutjes
Revisão: Angela Amaral
Capa e Ilustrações: Julia Rocha
Projeto Gráfico, diagramação e arte final: Ana Loureiro
ISBN: 978-65-992075-7-0
Literatura brasileira – contos
Ano de publicação: 2022
Páginas: 40
Editora: Gryphon Edições

Nota da quarta capa:
Imagine avó e neta caminhando de mãos dadas, trocando confissões e segredos sobre a vida… Imagine que, com o passar do tempo, a presença dessa vó se tornou marcante a ponto de influenciar a trajetória de uma ou várias vidas incluindo a da neta… É assim, que através de uma história aparentemente comum, Rosângela Rossi discorre sobre o assinto palpitante da na atualidade, o arquétipo feminino. Tapete Vermelho é um livro de rara beleza, onde a a autora mergulha com realismo e sensibilidade e nos meandros mais delicados e mais fortes da alma da mulher de ontem, de hoje, ma mulher de sempre. Venha conferir.
Maria Helena Sleutjes

Resenha:
Rosângela é uma escritora de uma sensibilidade marcante e em todos os seus livros vemos essa imensidão de sensações, de sentimentos e de ligação com o infinito. A autora em outros livros já nos levou a conhecer o universo e agora aqui, ela relata com uma simplicidade marcante a sua relação com sua avó nos tempos de menina e adolescente que foram realmente de suma importância na sua vida futura. A presença daquela mulher forte e bastante perspicaz, como disse Maria Helena, influenciou não só a vida da autora e da filoneuroterapeuta atual, mas a vida de muitas outras pessoas que conviveram com ela.
A máxima de vida dessa avó era: “Se o homem não colocar tapete vermelho para mim, eu estou fora”. Importante visão de mundo e de força que uma mulher tinha no século passado onde a submissão feminina era o que se esperava de uma mulher. E o tapete vermelho é a metáfora usada para mostrar que a mulher é igual – se não for superior – ao homem e, por isso mesmo, precisa ser tratada com igualdade e com respeito.
O prefácio é do escritor Wagner Lacerda que também, sem spoillers nos fala muito bem do trabalho da escritora.
Esse é o volume 1 da COLEÇÃO MEUS 70 ANOS. Espero que muitas outras obras de arte, como esse livro, sejam publicadas nessa coleção.

A autora:

Rosângela Rossi é escritora, membro da Liga dos Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora – LEIAJF -, membro da Academia Juiz-forana de Letras – AJL -, sistematizadora da FiloNeuroTerapia, Filósofa Clínica, Psicóloga, Psicopedagoga e Embaixadora da Paz.

Conatos:
[email protected]
@rosangelarossi

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *