CAMINHOS TORTOS – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

CAMINHOS TORTOS

Quisera eu amar e ser amado,
Ser feliz e viver no paraíso.
Quisera eu cantar todo encantado
As músicas melhores de Dioniso.

Mas infeliz no amor, fui desarmado
E na vida caminho tão indeciso,
Nunca mais tendo amor, desamparado
Levado pela vida ao improviso.

Quisera eu ser amado e ter amor
Para retribuir tão grande afeto,
Mas a solidão sempre traz pavor.

Fui desarmado ao ver meus sonhos mortos
Quando de mim partiste, eu tão dileto,
Comecei a cruzar caminhos tortos.

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *