CARNAVAL – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

CARNAVAL

Aldravias:

samba
fantasia
amor
sexo
juras
Carnaval

Carnaval
alegria
festa
amor
fantasia
êxtase

Carnaval
festa
povo
cordões
blocos
brasileiros

Carnaval
máscara
fantasia
liberdade
esperança
Brasil

fantasia
paetê
cetim
sonhos
esperança
alegria

Quintas:

No Carnaval
De fantasia
Subindo ladeiras
Bebendo todas
Alegria

Pierrô apaixonado
Sozinho sentido
Sem namorado
Ingrato Arlequim
Perdido

Trova:

E naquela rua escura,
com a viola na mão,
fantasia de alma pura,
um ferido coração.

Carnaval – redonde
Artur Laizo

Ia naquela rua escura,
com a viola na mão.
Fantasia de alma pura,
um ferido coração.
O bêbado apaixonado
com o samba já acabado,
retornava a vida dura,
No bolso nem um tostão,
Ia naquela rua escura,
com a viola na mão.

Carnaval – sonetilho
Artur Laizo

Ia naquela rua escura,
com a viola na mão.
Fantasia de alma pura,
um ferido coração.

Ano todo, lida dura,
Quase sempre em oração,
Retornava a vida dura,
No bolso nem um tostão.

O bêbado apaixonado
Com o samba já acabado,
Seguia seu sofrimento.

Carnaval, festa infinita,
De uma alegria bonita,
Enganava seu tormento.

         

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *