PRAIA DESERTA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

PRAIA DESERTA

Eu queria uma praia deserta,
Onde o sol me batendo na pele,
Me lembrasse da vida incerta,
E de tudo o que hoje me impele,

Me trouxesse uma escolha mais certa
E fizesse que o sonho revele
Que ainda existe uma porta entreaberta
Que me cause arrepio na pele.

Eu queria uma praia serena
Em que o sol desse a mim, sombra amena
Relaxasse corpo e alma, doridos.

Eu queria um lugar bem bonito,
Que acalmasse esse peito aflito,
Me fizesse esquecer dias sofridos.

            

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

1 comentárioDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *