DESCAMINHOS – JÉSSICA JARDIM – RESENHA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

DESCAMINHOS – JÉSSICA JARDIM – RESENHA

Tive o prazer imenso de conhecer a autora Jéssica Jardim no lançamento de seu livro “DESCAMINHOS” em Lafaiete no Solar Barão de Suassuhy, entre vários membros da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafayete no dia 16 de dezembro de 2022.
Como a autora mesmo disse ao ser entrevistada pelo presidente da ACLCL, Moisés Motta, “o livro não é para ser lido de uma vez só…”
Não! Não é! Os poemas de Jéssica trazem sempre uma mensagem profunda que tem que ser degustada e nos leva a pensar sobre o que a poetiza quis dizer.
“PORTAS”, o primeiro poema do livro já marca a entrada da leitura do livro dizendo que há portas para entrar, sair, mas há portas para passagem para uma nova vida, um crescimento, uma descoberta.
“DESCAMINHOS” nos faz pensar sobre nossa vida: nosso caminho está traçado? A conclusão dizendo “…bússolas perdidas / Também mostram a direção.” serve para definir que nosso destino é fruto de nossas escolhas.
“SEMENTE” – linda a comparação que Jessica faz da necessidade de se romper a casca, sair da zona de conforto para desabrochar e despertar.
Desse jeito seguem os poemas desse livro fantástico que é dividido em quatro partes (capítulos).
No capítulo 2, somos agraciados com vários poemas minimalistas de igual teor. Todos trazendo uma mensagem profunda.
“CASA” traz uma metáfora linda quando compara os braços e o peito do amado com o conforto e a segurança que se espera de um lar.
Eu recomendo “DESCAMINHOS” de JÉSSICA JARDIM como um dos melhores livros de poesia que li em 2022.

Sobre a Obra

“ […] A obra, definitivamente, cumpre o que promete. Percebe-se, a cada verso, que há um desabafo da alma, uma confissão do corpo, um retrato do coração. O leitor, ao passar por cada poema, será levado a refletir sobre a transitoriedade da vida, como em “Portas”, a se lembrar de momentos com amigos, como em “Pretexto”, ou a sentir toda a inspiração que a solidão episódica pode nos trazer, como em “Dançando à meia-noite”. Recomendo, fortemente, a leitura da obra. Mas recomendo que seja feita de forma espaçada, um poema por dia. Assim, você poderá desfrutar do talento da autora e vivenciar a memória que cada poema há de lhe trazer […]”

Sobre a autora

Jéssica Jardim Rodrigues é mineira, poeta, advogada e professora. Com 29 anos, foi eleita a mais nova imortal da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafayette e ocupará a cadeira cujo patrono é o poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens. Percebeu nas palavras a possibilidade de abrir os caminhos, os destinos. Sua escrita é carregada de imaginação, fantasia e sentimentos. Se é da natureza humana significar é da natureza dos poetas ressignificar. É assim que descreve o seu trabalho. Uma forma de vestir com nova roupagem o que já existe, trazendo mais leveza e suavidade aos sabores e dissabores da vida.

Autor: Jéssica Jardim

Ilustrações e projeto gráfico: Lila Bittencourt

Edição e Revisão: Amanda Bruno de Mello

Coordenação Editorial: Lucas Maroca de Castro

Publicação: Crivo Editorial, 09/2022

128 páginas

ISBN: 978-65-89032-44-1 

Gênero: Literatura Brasileira

13,6cmx20,4cm

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *