POETA PÓS-MODERNISTA – Pão de Canela e Prosa
Pão de Canela e Prosa

POETA PÓS-MODERNISTA

*POETA PÓS-MODERNISTA*
Artur Laizo

Vantagem de ser poeta,
vivendo o Pós-modernismo,
não há forma Incorreta
posso usar o meu lirismo.

Posso fazer verso
Curto.
Posso fazer verso longo até mesmo com mais de quinze sílabas métricas.
Posso usar a métrica
A rima
As figuras de imagem.
Posso usar pontuação correta
Ou nem usar

Posso falar da nossa terra e nosso mundo,
Posso escrever do amor, do medo, solidão.
Posso até falar dos pastores e pastoras,
Da bela da janela
Das árvores
Dos deuses e deusas
Posso fazer soneto belo e profundo.

Soneto de sete sílabas,
Rimando tudo certinho,
Ou deixando de fazer
Qualquer rima métrica ou formato.

Posso ser minimalista
Posso ser individualista
Posso até nem ser!

Usar ponto, vírgula, travessão
É tudo sua decisão
O importante é criar.

Trova
Aldravia
Quinta
Haikai
Redonde
Aceteto
Verso de uma só letra.

Vantagem
Vantagem de ser poeta,
Em tempo Pós-modernista
É ser o que se quer
Fazer o que puder
Mas sempre ser
Muito feliz!

            

Sobre o autor Ver todas as postagens

Artur Laizo Escritor

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete – MG, vive em Juiz de Fora há quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. É membro da Academia Juiz-forana de Letras e da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, Sociedade Brasileira de Poetas Aldravistas e presidente da Liga de Escritores, Ilustradores e Autores de Juiz de Fora - LEIAJF.

6 comentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *